domingo, 1 de fevereiro de 2009

Celebrar D. Bosco



Ontem dia de festejar D. Bosco com as crianças, hoje dia de celebrar em comunidade o dom de Deus para connosco: ter-nos dado o "Pai e Mestre dos jovens"!
Partilho convosco algumas das palavras do nosso director, Pe Paulo Pinto:

É com alegria que hoje, comunidade cristã e Família Salesiana, nos reunimos em Cristo para fazermos memória de S. Jão Bosco.
O Papa João Paulo II concedeu-lhe o título de "Pai e Mestre da juventude". De facto, ao olharmos para esta figura da Igreja e da humanidade, compreendemos como o nosso Deus, o Deus de Jesus Cristo, se faz próximo dos mais débeis, dos mais frágeis, daqueles que mais sentem no corpo e no espírito o egoísmo humano, a manipulação ideológica, o jogo de interesses políticos e económicos.
S. João Bosco viveu numa época marcada pelo início da revolução industrial. Muitas crianças e jovens deixam as suas aldeias e a protecção familiar para irem ganhar algum dinheiro na cidade.(...)
A lei desconhecida a expressão trabalho infantil. (...) Os jovens viviam indefesos contra patrões e políticos sem escrúpulos e uma grande indiferença social.
D. Bosco conhece esta realidade. De alguma forma também a experimentou (...), quando para estudar tem de ter vários empregos para poder pagar os estudos e a sua comida.
D. Bosco não nasceu santo, fez-se santo! Desde cedo começou a olhar para Deus como Pai e Jesus como aquele que morre pelos pecados dos homens. (...)
Contemplou a realidade do seu tempo e como Jesus de Nazaré, sentiu compaixão por aqueles que andavam como ovelhas sem pastor; presas fáceis de lobos ávidos de miséria e destruição humanas. E como Jesus de Nazaré comprometeu-se a libertar da escravidão do mal, todos os jovens, ensinando-os a olharem-se como filhos de Deus.
Compreendeu que a educação permitiria aos jovens quebrar ciclos de pobreza; (...)
Compreendeu que a educação permitiria uma formação humana consistente, em valores e princípios sólidos; que permitiria que a sociedade se enriquece-se com bons cristãos e honrados cidadãos.
D. Bosco foi profeta da juventude: um homem apaixonado por Deus e apaixonado pela humanidade. (...) Um homem verdadeiramente discípulo de Jesus Cristo que fez da sua vida um hino à caridade de Deus.
(...) Com D. Bosco aprendemos a ser profetas, a ser humildes e simples mas a sonhar os sonhos de Deus. (...) Aprendemos a fazer da própria vida um dom no serviço dos mais frágeis e dos mais débeis, e uma arma contra políticas que escravizam, culturas de morte, ideologias que roubam a esperança e a dignidade de ser filho de Deus.

3 comentários:

Idália disse...

Porque será que ninguém comenta este tipo de post...?
Da homilia deste dia chamou-me especialmente a atenção a frase "D. Bosco não nasceu santo, fez-se santo!"
É isto malta, a santidade é possível, fazemos parte de uma família de santos... não podemos ser ovelhas negras. Vamos pôr a santidade no nosso horizonte e caminhar para ela.
Bora lá, quem me quer acompanhar?
Bjs

Joana disse...

É verdade...normalmente ng comenta estes post...nem a ines k é craque nisto da fé. lol

agora a falar a sério...no dia 30 alguns de nós fomos ao COP...é smp mt bom voltar ao local k me deu tantas coisas boas...k me deu a conhecer pessoas maravilhosas e me tornou melhor pessoa. Contudo, é triste ver k mts miudos k estudam la pouco ou nada sabem de D. Bosco, do k ele fez pelos jovens, a sua importancia k teve e continua a ter para alguns de nós. Para alguns é apenas uma escola onde passam o tempo e n sabem a historia k tem por tras...Não sei se por culpa do colegio, k n da a conhecer D. Bosco fora do dia 31 de Janeiro, ou se por culpa deles k pura e simplesmente n querem saber...

Espero realmente conseguir transmitir a alegria de D. Bosco e a dedicação pelos jovens aos nossos meninos...

Eu acompanho.te, Idália

Bj

Idália disse...

Eu continuo a admirar o esforço de se fazer pastoral na escola. Há um esforço enorme para se ser ESCOLA CATÓLICA, mas a maioria anda numa escola católica porque oferece um bom ensino, segurança, protecção, etc.
Não anda lá, ou não põem lá os seus filhos, pelos valores cristãos. Conheço alunos do COP que nos dias de festa (com missa...) nem põe lá os pés porque têm testes na semana seguinte, etc... Mas no verão querem ir ao acampamento MJS, embora achem que se "reza muito... demasiado, devia haver mais actividades livres...".

Nisso somos (CJS) privilegiados... em principio quem vem é porque quer conhecer melhor Jesus Cristo, e nós temos D. Bosco como exemplo para lhes falar de Jesus.
Eu acho que o CJS como complemento à escola é fantástico! Muitos de vocês sem o CJS não teria aprofundado a sua fé. Por isso eu sou tão "fanática" pelo CJS que com TODOS os seus defeitos vai fazendo um trabalho insubstituível na formação de bons cristãos e honestos cidadãos.
E, Joana, obrigada pela companhia, o caminho da santidade, tal como qualquer outro caminho, é sempre mais fácil quando se tem companhia para nos ajudar nos obstáculos da Estrada.
Bjs