terça-feira, 25 de novembro de 2008

Recordando a mãe



Hoje festejamos o 152º aniversário da morte da mãe de todos aqueles que se sentem ligados aos salesianos: a mãe Margarida. Faleceu em 1856, no dia 25 de Novembro.

Numa vida em que foi obrigada a fazer escolhas às vezes dramáticas (como o afastamento do filho mais pequeno - D. Bosco - de casa para não romper com a paz e para fazê-lo estudar), conduziu com fé, sabedoria e coragem o desenvolvimento das capacidades dos filhos, ajudando-os a crescer na generosidade e no espírito de iniciativa.
Acompanhou com um amor particular João até o sacerdócio e depois, deixando a sua querida casa no Colle, seguiu-o na sua missão entre os jovens pobres e abandonados de Turim. Aqui, durante dez anos, a sua vida confundiu-se com a do filho e com os inícios da Obra salesiana: foi a primeira e principal Cooperadora de Dom Bosco; com uma grande bondade tornou-se o elemento materno do sistema preventivo; é, sem sabê-lo, “co-fundadora” da Família Salesiana que criou santos como Domingos Sávio e P. Rua.
Analfabeta, mas cheia daquela sabedoria que vem do céu, foi uma ajuda (quantas vezes a única), para tantos jovens pobres e abandonados na rua, filhos de ninguém. Colocou Deus acima de tudo, consumando-se por Ele numa vida de pobreza, de oração e de sacrifício.

Recordamo-la com especial carinho no dia de hoje e, em família, vamos fazer uma oração na capela do COP, hoje às 21h.
Estás convidado!

1 comentário:

Idália disse...

Eu estarei lá!
E não apenas porque sou Salesiana Cooperadora.
Mais do que um exemplo para os salesianos cooperadores eu acho que a Mãe Margarida é um exemplo para todos os animadores. Para além de 1ª cooperadora ela foi 1ª Animadora! Esta mulher disse sim ao chamamento a ser animadora quase aos 60 anos de idade, depois de uma vida complicada...
E eu, e tu, e nós? Quantas vezes não temos tempo, disponibilidade ou até mesmo idade para "estas coisas" da animação, da catequese?
Vale a pena pensar nisto, pensar e orar com o exemplo desta mulher fantástica. Afinal por detrás de um grande homem está sempre uma grande mulher e no caso de D. Bosco foi a sua Mãe Margarida.
Espero ver-vos logo à noite.
Beijos
Idália